O canalha não tem jeito mesmo...




O canalha não tem jeito mesmo. E nunca terá. 

Ele é o sociopata do amor. Inspira confiança e expira mentiras. 
O canalha finge que não é um canalha. Posa de bom moço, carente, apaixonado e infeliz. E você acredita ser a salvação dessa alma perdida, depois de tantas desilusões amorosas

O canalha cria uma nova identidade, mas sem registro em cartório. Ele age por instinto, não sabe ser de outra forma. A sedução faz parte da sua sobrevivência emocional. Ele é uma fera e você o prato de comida.

Mas ele tem um jeitinho tão meigo, uma conversa tão bacana, não é mesmo? 

o cara perfeito. Amar um canalha é entrega sem devolução. 

A submissão é ingrata: revolta, mas apaixona. 

O canalha é o disfarce da conquista, máscara do engano. 
E é justamente isso que te encanta nele. 
Ele sorri em versos, fala em melodia e te decifra com os olhos. 
O canalha parece ter o manual de instruções para seduzir. 
E faz isso sem nenhuma força. 

Você consegue ver sensualidade nele caminhando na rua, tomando whisky, acendendo um cigarro e até dirigindo.


O canalha nem bonito é, mas parece ter nascido para desafiar o seu bom gosto. Ele faz você escutar músicas que você nem sabia que existiam, faz você pesquisar textos e frases que traduzam o que você está sentindo. Faz você acordar de manhã e lembrar dele, pelo menos, na hora de passar o perfume.


O canalha não pede, manda. Você adora e depois se odeia. 
Tenta escapar e horas depois, cai numa armadilha. 

Amar um canalha faz parte da vida, é a construção de si mesma, leitura obrigatória para o vestibular sentimental que vem pela frente. 

Estar com um canalha é mais do que necessário. 


É gostoso.

Texto do Chico Garcia editado por mim =]

posted under |

0 comentários:

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial
Ocorreu um erro neste gadget
Ocorreu um erro neste gadget

Total de visualizações de página

Followers


Recent Comments