Da arte de cair em ciladas

Depois de tempos naquele joguinho de pega - não pega, eis que ele me convida pra "fazer alguma coisa" no dia seguinte. Segundo ele, poderíamos almoçar em sua casa e jogar conversa fora. Pensei que não era bem isso que eu queria fazer lá, mas como o primeiro grande passo estaria dado, avante!

Dia seguinte ele aparece pra me buscar com aquela cara de quem tem tudo arquitetado. -É hoje!, confesso que pensei.
No caminho até sua casa conversamos sobre as mais diversas coisas, sempre atencioso,agradável e, claro, lindo. [Abro aqui um espaço pra destacar que me segurei muito pra não mandar um "PQP, que delícia!" quando o vi! hahaha]
Chegamos ao seu prédio por volta do meio-dia. Ele foi logo colocando um jazz pra tocar, e me convidou pra tomar meu lugar na cozinha. [Sim, no caminho ele disse que já tinha adiantado o almoço e que nós faríamos o restante.] Pois bem...chegando lá me ofereceu um vinho, muito gostoso, por sinal, mesmo eu entendendo patavinas da ciência da enologia. Enquanto cozinhavamos, o papo discorria tranquilamente sobre os assuntos mais triviais, e o vinho, claro ia fazendo efeito.
Tempos depois, almoço pronto, garrafa de vinho vazia, primeiras conversas fora do script aparecendo e eu novamente pensando: -Agora vai! rs
Ele abriu mais uma garrafa de vinho para que almoçassemos. O papo já estava no patamar do misticismo. Daí pra chegar no real, faltava pouco. Ou não.
Segunda garrafa de vinho terminada, vamos à sobremesa, logo acompanhada de um whisky. Mais conversa jogada fora, mais tempo enrolando.[Sim, pq aí já eram umas 4 da tarde e eu já tava blasé, né?] Sento no sofá, ele levanta, vai ao quarto e me volta com dois edredons. Me entrega um, joga o outro no chão e diz que precisa dormir um pouco. SIM, DORMIR!
- Pois bem, cara, vai lá, dorme! Era o que eu tinha vontade de dizer.Mas como a menina muito delicada que sou, me limitei a dizer: "Bebeu um pouco demais, não é?"
Por sorte, a soneca durou pouco. Logo ele me acompanhou no sofá,me mostrou músicas, e o papo esquentou. Totally. Nem vou dizer que eu pensava "Até que enfim, vai ser!", mas -como vocês já devem ter sentido-, não foi. Papeamos sobre sexo por horas a fio e NADA! Absolutamente nada. Não me perguntem o que aconteceu, pq meu estado etílico se agravava, junto com meu tédio por estar ali há horas, esperando algo e NADA!


É, agora eu escrevo esse texto rindo pq, claro, já vi que desse mato não sai coelho e tirei o meu da reta[Se é que em algum momento ele esteve, né mesmo? haha]. Mas acreditem, passei dias remoendo as perguntas: Será que eu fiz algo de errado? Se ele não queria comer, pra que dispor pratos, talheres e taças sobre a mesa? E a última e mais foda de todas: Pq isso só acontece comigo? Hahhahahahahah


Postado por Menina Má.

posted under |

1 comentários:

O Trovador das Gerais disse...

Se eu disser a você que eu li você vai ficar brava? Se ficar da próxima eu digo que "nemli" =D

Às vezes nós homens somos assim: um tanto quanto idiotas - eu mesmo me senti um idiota ao ler =(

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial
Ocorreu um erro neste gadget
Ocorreu um erro neste gadget

Total de visualizações de página

Followers


Recent Comments